domingo, 5 de janeiro de 2014

#1 RESENHA: A Culpa é das Estrelas - John Green


Tenho um certo problema com livros que são realmente bons, só que entre um momento legal e outro há um parado, que dá vontade de dormir, e você pensa "Ok, essa é a parte chata da história". Venho dizer à vocês hoje que com "A Culpa é das Estrelas" isso não aconteceu.

A história é narrada por Hazel Grace, a protagonista, que sofre de um câncer terminal e que, em um grupo de apoio cheio de outras jovens vítimas da doença, conhece Augustus Waters, e você pode até pensar que se trata de mais uma historinha de um amor à primeira vista nojenta, mas não, acreditem quando digo que essa história é especial.

Hazel está ciente de que só tem mais alguns anos de vida e que seu tratamento apenas protela o inevitável, e responde a isso da melhor maneira que qualquer um responderia à uma sentença de morte: com um sentimento de injustiça, de ser a vítima de um caso em que ela é inocente, mas também com uma certa aceitação, por já ter passado anos convivendo com a doença. Sua preocupação principal é com a forma com que seus pais continuarão vivendo depois de ela partir. A Sra. Grace largou seu emprego para estar 100% de prontidão para cuidar de sua única filha, e isso muitas vezes piora o estado (mental) de Hazel.

Há dias bons e ruins, e um dos melhores foi quando ela conheceu Augustus Waters. O galã de novela sofre de osteossarcoma (câncer nos ossos) e já perdeu uma perna por causa disso. Hoje ele está bem, na medida do possível: a doença não apareceu mais e ele está levando a vida do jeito que pode, dirigindo sem saber se está pisando direito no acelerador, por exemplo. Ele aparece no grupo de apoio por intermédio de Isaac, um amigo em comum dos dois que sofre de um improvável câncer ocular, e à partir daí começa, e agora cito o slogan genial do filme que sairá esse ano, "One sick love story" ("Uma história de amor doentia", em tradução livre).

Hazel e Augustus tem uma química inquestionável, com diálogos que você lê com medo de que terminem logo por serem tão dinâmicos e inteligentes. Não quero contar muito mais do que isso pois quero que vocês se surpreendam com o livro, como eu me surpreendi. Leiam como algo novo e comum, e verão como ele se sobressai.

John Green é um autor por quem eu tenho o máximo respeito, simplesmente porque ele trata da verdade. O legal do final do livro (e da história como um todo) é que ele é verdadeiro, sincero, verossímil. Consequentemente, impactante. Bravo, João Verde. A aparentemente curta jornada de Hazel, na minha opinião, foi a pérola do autor, o melhor de todos os seus livros até o momento, e mal posso esperar por novos lançamentos. 

Com um título genial, "A Culpa é das Estrelas" nos faz pensar no quanto não sabemos sobre o que o amanhã nos reserva. Já li o livro 3 vezes e tive uma interpretação diferente sobre ele em cada uma delas. Recomendo a todos que procuram por uma história de amor dinâmica, triste, porém linda, arrebatadora e feroz. Nos mostra que devemos parar de tratar o "Carpe Diem" como um clichê e valorizá-lo ao máximo enquanto nos resta tempo.

Abraços!
Gustavo.

2 comentários:

  1. Olá! Você foi indicado por mim ao selo The Versatile Blogger Award!
    É só clicar neste link que vai te direcionar para o post do selo, ok? http://leitura-emfoco.blogspot.com.br/2014/01/selo-versatile-blogger-award.html
    Beijo, Van. Leitura em Foco.

    ResponderExcluir
  2. Oi, passando aqui pra avisar que te indiquei pra uma TAG lá no meu blog :)

    http://eaivailer.blogspot.com.br/2014/01/tagselo-liebster-award.html

    Espero que goste :)

    ResponderExcluir